25/06/2010

Análise do fim do monopólio da Petrobras


Boa noite Leitores,
Ontem quando estava saindo da faculdade fui surpreendido com alguns planfetos do Concurso o Petróleo Tem que ser Nosso, no primeiro momento pensei que se tratava de mais um dos artifícios produzidos pelo governo do Rio de Janeiro para reverter a situação da redistribuição dos royalties de petróleo. No entanto, ao ler a proposta do concurso, elaborada pela Sindipetro-RJ, notei que tratava-se de algo mais sério que a redistribuição de dinheiro entre os estados.

Farei um breve resumo para os leitores que não sabem o conteúdo do concurso. É o seguinte, existe uma campanha para mobilização de universitários e estudantes do ensino médio para que façam trabalhos, cujo tema principal é defender que a Petrobras seja a única companhia que teria os direitos de exploração do petróleo no Brasil, somente ela teria o direito de exploração no Brasil. Existe uma cartilha circulando pelas faculdades, defendendo a volta do monopólio da Petrobras, justificando que as empresas estrangeiras não fazem investimentos, considerando os danos e os impactos que podem ser causados por essa atividade no nosso país.


O problema é que se por um acaso esse fato se confirmasse, nossas carreiras estariam em sérios riscos. Imaginem o seguinte panorama: vários estudantes em busca do primeiro emprego, estudantes de cursos técnicos e universitários teriam poucas opções para o mercado de trabalho. Teríamos três alternativas: prestar concurso para a Petrobras (sendo que nesse caso a concorrência seria muito maior), trabalhar em outro país ou mudar de profissão. Sendo que os tecnólogos de petróleo e gás seriam os maiores prejudicados porque até o presente momento a estatal ainda não reconhece o diploma de tecnólogo em seus concursos, isso significa, que simplesmente não servirá de nada os anos que você passou na faculdade.

A Petrobras, como maior empresa do país, deve investir em tecnologia para a recuperação de jazidas de petróleo que até o momento são inviáveis, deve se preocupar com as reservas dos campos com grande volume de óleo encontrado no litoral brasileiro, deve investir em pesquisas para a busca de reservas de gás, na bacia do Amazonas e Paraná.
O Brasil e a Petrobras só ganharam com o fim do monopólio. Maior arrecadação fiscal, diminuição de importações, melhoria na qualidade dos produtos e serviços, sem falar da instalação de grandes empresas, gerando mais postos de trabalho, são algumas das vantagens para a população.
A Petrobras se modernizou e sua supremacia sequer foi afetada pela vinda das outras empresas, em poucos anos se tornou a empresa mais cobiçada pelos jovens, o lucro da companhia aumenta a cada ano, ficando cada ano mais competitiva.

Sem dúvida alguma, o fim do monopólio da Petrobras foi um dos maiores avanços para o desenvolvimento da indústria do petróleo no Brasil, se as estimativas da reserva de pré-sal se confirmarem o Brasil estará entre os grandes produtores do petróleo no mundo. Não é mentira dizer que as empresas estrangeiras não investem no Brasil tanto quanto a Petrobras, porém esse é um dos motivos para a existência dos royalties e o fato de surgir.

Desde que o mundo é mundo, o monopólio e a estatização são prejudiciais. Eu tenho 22 anos, mas lembro que há poucos anos atrás para pedir uma linha telefônica em casa, era um martírio. Só conseguia se você conhecesse alguém que trabalhava na Telebrás, tinha que possuir alta renda, era um inferno. Hoje em dia, após a privatização, se ligar para qualquer companhia, no dia seguinte seu telefone estará instalado. Não estou dizendo que a privatização é um mar de rosas porque não é, ainda tem problemas, e não são poucos porém quando comparados com o passado recente, o avanço da telefonia brasileira foi imenso, graças a privatização. Não estou dizendo que a maior empresa do país deva ser privatizada, mas o conceito aplicado é o mesmo para o setor de petróleo no Brasil, nos últimos anos que esse número vêm crescendo por conta do fim do monopólio.

Apesar de ser amplamente dito que a  lei 9.478/97 ocasionou " a abertura do monopólio", isso não se traduz de fato já que a estatal lidera a quantidade de áreas obtidas em concessão e a maioria das empresas estrangeiras obtiveram concessões tendo a Petrobras como sócia.

Com o avanço nas descobertas do pré-sal existirá cada vez mais pessoas interessadas em benefícios pequenos grupos do que nos benefícios de todos. O monopólio da Petrobras deve acabar  deuma vez por todas e em todas as etapas da cadeia produtiva, do poço até o posto. Não deixemos que a emoção fale mais alto que a razão, pelo menos nesse caso, no entanto, no amor...

Espero contar com a participação de vocês nos comentários, seja para concordar ou discordar, o importante é dar sua opinião.

Siga-nos no Twitter

5 comentários :

  1. EXCELENTE! CONCORDO EM GRAU, GÊNERO E NÚMERO!

    ResponderExcluir
  2. Lembre-se do fato que o problemas está nos funcionários públicos, mas é fato que os funcionários da Petrobras não são como os demais... Ex.: os antigos da Vale, Telebras, etc. Se estes tivessem a mesma cultura dos da Petrobras a regras comentadas no artigo não se aplicariam...

    ResponderExcluir
  3. Tambem concordo plenamente, penso que é a Petrobras venha beneficiar todo povo Brasileiro e não somente um grupo, ainda, as jazidas petrolífera estimadas continuam pertencendo a união, quanto ao pré-sal, do que adianta uma imensa riqueza contida nos poros das rochas, esta riqueza precisa ser prospectada para realmente ser efetivamente riqueza, aglomerados de empresas precisam participar desta empreitada, isso só será possível se mantiver a quebra do monopólio, e nem por isso o petróleo deixará de ser nosso.

    Parabéns pela possibilidade de discutimos esta questão.

    Cordial abraço.

    Jeziel

    ResponderExcluir
  4. Fazer essa análise colocando a questão da telefonia é um erro grosseiro cometido por todos os brasileiros, devidamente mal informados, até pelo governo atual.
    As empresas estatais vinha de muito tempo sendo propositalmente esquecidas desde o governo Collor. O que acontecia era que os aparelho utilizados nas telefônicas eram PABXs antigos, um aparelho desses ocupava uma sala enorme, consumia muita energia e fazer a comutação de umas 300 linhas de telefone.
    Ora, ante de FHC vender as telefônicas ele fez todos os investimentos necessários para modernizar as empresas. Comprou PABXs modernos que consomem uma fração da energia, ocupam o espaço de um armário de duas portas e comutam mais de 300 mil linhas. No meu Estado, Espírito Santo, FHC investiu 140 milhões de reais na TELEST modernizando a companhia e vendeu ela pra Telemar por 120 milhões. Aí fica muito fácil distribuir telefone pra todo mundo. A infra-estrutura toda refeita, prontinha pra receber 30 vezes mais linhas, ou seja, 30 vezes mais contas de telefone, que por sinal encareceram absurdamente e disso ninguém fala.
    A melhora na telefonia foi devido a uma questão política e tecnológica, foi feita com dinheiro público por funcionários públicos, não se enganem meus jovens, o interesse privado não é nem um pouco bonzinho e pra FHC realizar o sonho neurótico dele de privatização ele cortou na nossa carne. Enquanto essas empresas cresciam e enchiam o bolso de dinheiro o Brasil ficou 10 anos em recessão.
    Hoje a tecnologia permite virtualizar um PABX em um computador de mesa pra comutar dezenas de milhões de linhas, tudo sem a necessidade de cabos de cobre, usando puramente poucos quilômetros fibras óticas que estão extremamente baratas. Apesar disso, alguém aí viu as contas diminuírem? Nada disso, elas aumentam a cada ano desde a privatização, contrairando todas as tendências no mundo inteiro.
    Telefonia celular nem se fala. O progresso foi inteiramente ligado a evolução tecnológica que o sistema sofreu. E hoje, apesar dos custos terem diminuído vertiginosamente pras empresas, os preços continuam estratosféricos, com o aval neliente da ANATEL é claro.
    Estatal ou privado a regra é uma só: os chefões vem com o piru e o povo brasileiro com o cu.

    ResponderExcluir
  5. Muito bom cara,sou estudante de Relações Internacionais se puder me passe seu e-mail, vou fazer meu TCC sobre isto, poderíamos trocar algumas idéias.
    Sobre o comentario acima do amigo Anonimo, imagino que o autor do texto, apenas fez uma análise de como uma empresa Privada é bem mais eficaz do que um estatal, principalmente quando há monopólio, ai nem se fala. Obviamente que existe exceções, porém, a qualidade do serviço de qualquer estabelecimento, podemos notar no dia a dia, que o privado na maioria das vezes é melhor que o estatal.
    Eu tenho uma teoria, alguns podem discordar. As empresas privadas, estão sempre preocupadas em dar lucro e se estabilizar cada vez mais, por isso ela trabalha de forma mais profissional, as empresas estatais, não tem ''tanta'' responsabilidade em dar lucros, porque caso acontece algum problema financeiro com ela, ou caso ela quebre de fato, o Governo vai estar sempre la pra reerguer com o dinheiro público, já as empresas privadas que quebram, já era!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...